sexta-feira, 29 de janeiro de 2010

Acessibilidade e Turismo de Aventura em sintonia

Programa Aventura Segura oferecerá aos amantes da adrenalina um Manual de Orientações para Acessibilidade em Turismo de AventuraBrasília (25/01/10) Você é um amante de aventura e de práticas ao ar livre e tem alguma deficiência ou mobilidade reduzida? Conte sua experiência e dê sua contribuição para o Manual de Orientações para Acessibilidade em Turismo de Aventura por meio de pesquisa disponível no link http://www.encuestafacil.com/RespWeb/Qn.aspx?EID=639021.O manual, uma ação do programa Aventura Segura, desenvolvido pelo Ministério do Turismo (MTur) em parceria com a Associação Brasileira das
Empresas de Ecoturismo e Turismo de Aventura (ABETA) e o Sebrae Nacional, pretende estimular as empresas do segmento a implementar recursos de acessibilidade.Os dados levantados junto ao público consumidor farão parte de um capítulo do manual. Por meio da pesquisa básica do consumidor deficiente ou com mobilidade reduzida, será possível levantar informações, como as principais atividades praticadas por esse público e as maiores dificuldades enfrentadas na prática do Turismo de Aventura.
O manual trará também informações sobre empresas e profissionais que oferecem serviços de Ecoturismo e Turismo de Aventura a clientes com deficiência ou mobilidade reduzida. E, ainda, servirá como ferramenta para orientar a adaptação das atividades de aventura com base na Norma Técnica ABNT NBR 15331 – Turismo de Aventura – Sistema de gestão da segurança – Requisitos.A previsão é finalizar o documento ainda no primeiro semestre deste ano. O manual será disponibilizado na íntegra para download no site www.aventurasegura.org.br e a versão impressa será distribuída nos principais eventos do segmento.AVENTURA SEGURA
Criado em 2005, o programa tem o objetivo de qualificar empresas e profissionais de Ecoturismo e Turismo de Aventura. Além disso, são implementadas práticas de gestão de segurança que possibilitam o fortalecimento do segmento e, principalmente, a prevenção de acidentes.O programa já capacitou mais de quatro mil pessoas por meio de oficinas, cursos a distância e presenciais em 13 estados. Além disso, envolveu mais de 100 municípios em suas ações, e dá assistência as 170 empresas participantes da implementação do Sistema de Gestão da Segurança nas operações de Turismo de Aventura.
Mais informações para a imprensa
  • Assessoria de Comunicação do MTurimprensa@turismo.gov.br(61) 2023 7055
  • Siga o turismo no Twitter: www.twitter.com/MTurismoEvandro Dias de SouzaCoordenação Geral de Qualificação e CertificaçãoDepartamento de Qualificação e Certificação e de Produção Associada ao TurismoSecretaria Nacional de Programas de Desenvolvimento do TurismoMINISTÉRIO DO TURISMOSCN Quadra 06 – Bloco A – Sala 1201 – Ed. Venâncio 3000CEP: 70.716-900 Brasília – DFFone: (61) 2023-7611Fonte: Agência Inclusive
  • DEFICIENTE ALERTA foi criado para orientar,educar,protestar e ajudar todos com deficiência. www.deficientealerta.blogspot.com
Finep destina R$ 10 milhões para projetos de inclusão social de deficientes

Tecnologias para inclusão socialA FINEP (Financiadora de Estudos e Projetos), órgão do Ministério da Ciência e Tecnologia, vai apoiar a inclusão social de deficientes com recursos não reembolsáveis no montante de R$ 10 milhões.O chefe do Departamento de Tecnologias Sociais da Finep, Maurício França, informou que a agência de inovação "quer apoiar projetos de pesquisa e desenvolvimento de tecnologias que auxiliem pessoas com deficiência a ter uma autonomia maior na sua vida."Os projetos deverão ser liderados por universidades e institutos de pesquisa, que poderão se associar a empresas e organizações do terceiro setor. "Mas quem vai tocar esses projetos de pesquisa serão, necessariamente, instituições de ciência e tecnologia, uma vez que se trata de projetos de desenvolvimento de tecnologias inovadoras", ressaltou França.Prevenção das deficiênciasA chamada pública não visa apenas promover a inclusão social de pessoas com deficiências, mas também a prevenir a ocorrência de deficiências de modo geral, sejam físicas, auditivas, visuais, ou intelectuais. Essa prevenção pode ser feita, por exemplo, no desenvolvimento de protocolos e metodologias fisioterápicas."São protocolos inovadores que fazem com que aquela pessoa que momentaneamente esteja com uma deficiência não tenha mais essa deficiência. E você pode também atuar no diagnóstico precoce", disse França.As instituições interessadas devem enviar seus projetos à Finep até o dia 19 de março. A divulgação dos resultados está prevista para o dia 18 de junho. De acordo com o que determina a lei, 30% dos recursos serão destinados a projetos das regiões Norte, Nordeste e Centro-Oeste.Fonte: Inovação TecnológicaDEFICIENTE ALERTA foi criado para orientar,educar,protestar e ajudar todos com deficiência. www.deficientealerta.blogspot.com

quarta-feira, 27 de janeiro de 2010

Walter Domingos




Walter Domingos é escritor, com vários livros publicados. Mineiro de nascimento, paranaense por adoção recíproca, mora em Mandaguari.
Sócio fundador do Elos Clube de Mandaguari, da Academia de Letras, Artes e Ciências Centro Norte do Paraná e do Instituto Araucária de Qualidade Ambiental, do qual é presidente.

Poema realizado pelo escritor em homenagem a Zélia ARNS

A ESTRELA MUSA

A maioria das pessoas busca o estrelato,
E sem auto-conhecimento nem sabe o que faz aqui,
Caminha escondendo-se do anonimato,
Buscando um brilho ora cá, ora acolá e ora ali.

Outras são sábias no que fazer da vida,
Não se preocupam com o verbo brilhar,
Tendo certeza de forma ampla... expandida,
Que o valor de existir consiste em amar.

E quando procuram explicação fundamentada,
Para a prática do mais belo sentimento,
Encantam-se e empreendem uma viagem alada,
Na qual nunca encontram dor nem sofrimento.

São os exemplos dos que sabem o sentido de doar,
Que se estendem pela história da humanidade,
Praticando o inverso do verbo tradicional “trocar,”
E sua matéria-prima tem o nome de dignidade.

Não combina com o convencional verbo “orgulhar,”
Pois servir aos semelhantes é ato de bondade,
Sem nenhum fundamento lógico de se vangloriar,
Que vive atrelado com a mesquinha vaidade.

Dona Zilda que suavemente acaba de nos deixar,
É o mais belo exemplo de humano discernimento,
Capaz de nossa esperança fortalecer e renovar,
Dando-nos luz para o verdadeiro comprometimento.

O que fez em vida esta alma de brilho tão especial,
Com sua corajosa e determinada iniciativa,
Renova das pessoas normais a esperança vital,
Em meio a tanta mesquinharia torpe e negativa.

O que fez terá ressonância como a boa semente,
Aquela que foi colocada pelo Criador na Natureza,
Com a missão de se perpetuar e durar eternamente,
Dedicando-se para servir com amor de rara grandeza.

Parabéns família Arns: ascendentes e descentes,
Por compreender de nossa Dona Zilda a abnegação,
Ela é a perene benfeitora de oprimidos inocentes,
Cativando-nos por seu amor e grandiosa realização.

Que tenhamos a grandeza de seguir seus passos,
Sem nenhuma preocupação com o reconhecimento,
Construindo nossa parte em nossos espaços,
Nunca buscando ofuscar outras luzes no firmamento.


Mandaguari - PR, 13 de janeiro de 2010

Walter Domingos


Veja quão sábias palavras, proferidas por Zélia, antes do acidente. Emitem toda a sua visão da necessidade do FUTURO,onde o foco está na INCLUSÃO SOCIAL,sendo a base de toda a sua filosofia nas palavras do grande Mestre JESUS!


Último discurso de Zilda Arns antes de morrer Fantástico 17/01/2010 (Globo)

Amar a Deus sobre todas as coisas e ao próximo como a nós mesmos" significa trabalhar pela inclusão social, fruto da Justiça; significa não ter preconceitos, aplicar nossos melhores talentos em favor da vida plena, prioritariamente daqueles que mais necessitam. Somar esforços para alcançar os objetivos, servir com humildade e misericórdia, sem perder a própria identidade. Cremos que esta transformação social exige um investimento máximo de esforços para o desenvolvimento integral das crianças.
Este desenvolvimento começa quanto a criança se encontra ainda no ventre sagrado da sua mãe. As crianças, quando estão bem cuidadas, são sementes de paz e esperança. Não existe ser humano mais perfeito, mais justo, mais solidário e sem preconceitos que as crianças. Como os pássaros, que cuidam de seus filhos ao fazer um ninho no alto das árvores e nas montanhas, longe de predadores, ameaças e perigos, e mais perto de Deus, devemos cuidar de nossos filhos como um bem sagrado, promover o respeito a seus direitos e protegê-los.

Assista alguns videos no You Tube para conhecer um pouco dessa estrela mor que fará junto de outras estrelas uma constelação!!!

• Zilda Arns-Vida e Tragetória –Pastoral da Criança
• Zilda Arnsas lições de uma brasileira exemplar

Zilda Arns Neumann (Forquilhinha, 25 de agosto de 1934 — Porto Príncipe, 12 de janeiro de 2010) foi uma médica pediatra e sanitarista brasileira.

Irmã de Dom Paulo Evaristo Arns, foi também fundadora e coordenadora internacional da Pastoral da Criança[1] e da Pastoral da Pessoa Idosa, organismos de ação social da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB).

Recebeu diversas menções especiais e títulos de cidadã honorária no país. Da mesma forma, à Pastoral da Criança foram concedidos diversos prêmios pelo trabalho que vem sendo desenvolvido desde a sua fundação.
Índice

* 1 Vida e obra
* 2 Morte
* 3 Fragmentos de um discurso amoroso
* 4 Prêmios e honrarias
o 4.1 Prêmios internacionais
o 4.2 Prêmios nacionais
* 5 Referências

Vida e obra

O casal brasileiro de origem alemã Gabriel Arns e Helene Steiner teve 16 filhos. Zilda, a 13ª criança,[2] nasceu no dia 25 de agosto de 1934, em Forquilhinha, no interior de Santa Catarina. Em 26 de dezembro de 1959, casou-se com Aloísio Bruno Neumann (1931-1978), com quem teve seis filhos: Marcelo (falecido três dias após o parto), Rubens, Nelson, Heloísa, Rogério e Sílvia (que faleceu em 2003 num acidente automobilístico). Zilda Arns era avó de nove netos.

Formada em medicina pela UFPR, aprofundou-se em saúde pública, pediatria e sanitarismo, visando a salvar crianças pobres da mortalidade infantil, da desnutrição e da violência em seu contexto familiar e comunitário. Compreendendo que a educação revelou-se a melhor forma de combater a maior parte das doenças de fácil prevenção e a marginalidade das crianças, para otimizar a sua ação, desenvolveu uma metodologia própria de multiplicação do conhecimento e da solidariedade entre as famílias mais pobres, baseando-se no milagre bíblico da multiplicação dos dois peixes e cinco pães que saciaram cinco mil pessoas, como narra o Evangelho de São João (Jo 6:1-15).

A sua prática diária como médica pediatra do Hospital de Crianças César Pernetta, em Curitiba, e, mais tarde, como diretora de Saúde Materno-Infantil da Secretaria de Saúde do Estado do Paraná, teve como suporte teórico as seguintes especializações:

* Educação em Saúde Materno-Infantil, na Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo (USP);
* Saúde Pública para Graduados em Medicina, na Faculdade de Saúde Pública (USP)
* Administração de Programas de Saúde Materno-Infantil, pela Organização Pan-Americana de Saúde (OPAS) /Organização Mundial da Saúde (OMS), e Ministério da Saúde
* Pediatria Social, na Universidade de Antioquia, em Medellín, Colômbia
* Pediatria, na Sociedade Brasileira de Pediatria
* Educação Física, na Universidade Federal do Paraná

Sua experiência fez com que, em 1980, fosse convidada a coordenar a campanha de vacinação Sabin, para combater a primeira epidemia de poliomielite, que começou em União da Vitória, no Paraná, criando um método próprio, depois adotado pelo Ministério da Saúde.

Em 1983, a pedido da CNBB, criou a Pastoral da Criança juntamente com o presidente da CNBB, dom Geraldo Majella, Cardeal Agnelo, Arcebispo de Salvador e Primaz do Brasil , que, à época, era Arcebispo de Londrina. No mesmo ano, deu início à experiência a partir de um projeto-piloto em Florestópolis, Paraná. Após vinte e cinco anos, a pastoral acompanhou 1 816 261 crianças menores de seis anos e 1 407 743 de famílias pobres em 4060 municípios brasileiros. Neste período, mais de 261 962 voluntários levaram solidariedade e conhecimento sobre saúde, nutrição, educação e cidadania para as comunidades mais pobres, criando condições para que elas se tornem protagonistas de sua própria transformação social.

Para multiplicar o saber e a solidariedade, foram criados três instrumentos, utilizados a cada mês:

* Visita domiciliar às famílias
* Dia do Peso, também chamado de Dia da Celebração da Vida
* Reunião Mensal para Avaliação e Reflexão

Em 2004, recebeu da CNBB outra missão semelhante: fundar e coordenar a Pastoral da Pessoa Idosa. Atualmente mais de cem mil idosos são acompanhados mensalmente por doze mil voluntários de 579 municípios de 141 dioceses de 25 estados brasileiros.

Dividia seu tempo entre os compromissos como coordenadora nacional da Pastoral da Pessoa Idosa e coordenadora internacional da Pastoral da Criança e a participação como representante titular da CNBB no Conselho Nacional de Saúde, e como membro do Conselho Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (CDES).
[editar] Morte
Curitiba - Presidente Luiz Inácio Lula da Silva comparece ao velório da coordenadora da Pastoral da Criança, Zilda Arns no Palácio das Araucárias.

Zilda Arns encontrava-se em Porto Príncipe, em missão humanitária, para introduzir a Pastoral da Criança no país. No dia 12 de janeiro de 2010, pouco depois de proferir uma palestra para cerca de 150 religiosos do Haiti,[3] o país foi atingido por um violento terremoto. A Dra. Zilda foi uma das vítimas da catástrofe. [4][5][6][7][8]

No dia 14 de janeiro, o senador Flávio Arns (PSDB-PR), seu sobrinho, divulgou uma nota sobre as circunstâncias da morte da médica:

"A Dra. Zilda estava em uma igreja, onde proferiu uma palestra para cerca de 150 pessoas. Ela já tinha acabado seu discurso e estava conversando com um sacerdote, que queria mais informações sobre o trabalho da Pastoral da Criança. De repente, começou o tremor. O padre que estava conversando com ela deu um passo para o lado e a Dra. Zilda recuou um passo e foi atingida diretamente na cabeça, quando o teto desabou. Ela morreu na hora. A Dra. Zilda não ficou soterrada. O resto do corpo não sofreu ferimentos, somente a cabeça foi atingida. O sacerdote que conversava com ela sobreviveu. Já outros quinze sacerdotes que estavam próximos a ela faleceram”.[9]
[editar] Fragmentos de um discurso amoroso
Cquote1.svg (...) Sabemos que a força propulsora da transformação social está na prática do maior de todos os mandamentos da Lei de Deus: o Amor, expressado na solidariedade fraterna, capaz de mover montanhas."Amar a Deus sobre todas as coisas e ao próximo como a nós mesmos" significa trabalhar pela inclusão social, fruto da Justiça; significa não ter preconceitos, aplicar nossos melhores talentos em favor da vida plena, prioritariamente daqueles que mais necessitam. Somar esforços para alcançar os objetivos, servir com humildade e misericórdia, sem perder a própria identidade.

Cremos que esta transformação social exige um investimento máximo de esforços para o desenvolvimento integral das crianças. Este desenvolvimento começa quanto a criança se encontra ainda no ventre sagrado da sua mãe. As crianças, quando estão bem cuidadas, são sementes de paz e esperança. Não existe ser humano mais perfeito, mais justo, mais solidário e sem preconceitos que as crianças.

Como os pássaros, que cuidam de seus filhos ao fazer um ninho no alto das árvores e nas montanhas, longe de predadores, ameaças e perigos, e mais perto de Deus, devemos cuidar de nossos filhos como um bem sagrado, promover o respeito a seus direitos e protegê-los.
Cquote2.svg
— Trechos do último discurso Zilda Arns
Prêmios e honrarias
Prêmios internacionais

Entre os prêmios internacionais recebidos por Zilda Arns Neumann, [11] merecem destaque:

* Opus Prize (EUA), em 2006; [12]
* Prêmio "Heroína da Saúde Pública das Américas", concedido pela Organização Pan-Americana de Saúde (OPAS), em 2002;
* Prêmio Social 2005 da Câmara de Comércio Brasil-Espanha;
* Medalha "Simón Bolívar", da Câmara Internacional de Pesquisa e Integração Social, em 2000;
* Prêmio Humanitário 1997 do Lions Club International;
* Prêmio Internacional da OPAS em Administração Sanitária, 1994.
* Prêmio Rei Juan Carlos (Prêmio de Direitos Humanos Rei da Espanha) pela Universidade de Alcalá. Recebeu o prêmio em 24 de janeiro de 2005, das mãos do rei.[13] [14]

Prêmios nacionais

Entre os prêmios nacionais, destacam-se:

* Diploma Mulher Cidadã Bertha Lutz, do Senado Federal, em 2005;
* Diploma e medalha O Pacificador da ONU Sérgio Vieira de Mello, concedido pelo Parlamento Mundial de Segurança e Paz, em 2005;
* Troféu de Destaque Nacional Social, principal prêmio do evento As mulheres mais influentes do Brasil, promovido pela Revista Forbes do Brasil com o apoio da Gazeta Mercantil e do Jornal do Brasil, em 2004;
* Medalha de Mérito em Administração, do Conselho Federal de Administração, em Florianópolis, Santa Catarina, 2004;
* Medalha da Inconfidência, do Governo do Estado de Minas Gerais, em 2003;
* Título Acadêmico Honorário, da Academia Paranaense de Medicina, em Curitiba, Paraná, 2003;
* Medalha da Abolição, concedida pela Universidade do Estado do Rio Grande do Norte, em 2002;
* Insígnia da Ordem do Mérito Médico, na classe Comendador, concedida pelo Ministério da Saúde, em 2002;
* Medalha Mérito Legislativo Câmara dos Deputados, em 2002;
* Comenda da Ordem do Mérito Judiciário do Trabalho, grau Comendador, concedida pelo Tribunal Superior do Trabalho, em 2002;
* Medalha Anita Garibaldi, concedida pelo governo do Estado de Santa Catarina, em 2001;
* Comenda da Ordem do Rio Branco, grau Comendador, concedida pela Presidência da República, 2001;
* Prêmio de Honra ao Mérito da Assembléia Legislativa de Santa Catarina, 2001;
* Medalha de Mérito Antonieta de Barros, concedida pela Assembléia Legislativa de Florianópolis;
* Prêmio de Direitos Humanos 2000 da Associação das Nações Unidas – Brasil, em 2000;
* Prêmio USP de Direitos Humanos 2000 – Categoria Individual.

Em 2001, 2002, 2003 e 2005 a Pastoral da Criança foi indicada pelo Governo Brasileiro ao Prêmio Nobel da Paz. Em 2006, a Dra. Zilda foi indicada ao Prêmio Nobel da Paz, junto com outras 999 mulheres de todo o mundo selecionadas pelo Projeto 1000 Mulheres, da associação suíça 1000 Mulheres para o Prêmio Nobel da Paz. Também é cidadã honorária de dez estados brasileiros (RJ, PB, AL, MT, RN, PR, PA, MS, ES, TO) e de trinta e dois municípios e doutora Honoris Causa das seguintes universidades:

* Pontifícia Universidade Católica do Paraná
* Universidade Federal do Paraná
* Universidade do Extremo-Sul Catarinense de Criciúma
* Universidade Federal de Santa Catarina
* Universidade do Sul de Santa Catarina

Referências

1. ↑ Pastoral da Criança, 13 de janeiro de 2010. Nota de falecimento da Dra, Zilda Arns
2. ↑ Helena Steiner ¥ Gabriel Arns
3. ↑ Pastoral da Criança. Missão da Dra. Zilda Arns Neumann no Haiti, 10 a 15/01/2010.
4. ↑ Fundadora da Pastoral da Criança estava no Haiti durante tremor - Folha Online
5. ↑ Christian Science Monitor, 13 de janeiro de 2010. Legendary Brazilian aid worker among the victims of Haiti earthquake, por Andrew Downie.
6. ↑ UN dispatch, 13 de janeiro de 2010 Haiti Earthquake, the Day After, por Mark Leon Goldberg.]
7. ↑ La reputada misionera brasileña Zilda Arns muere en el terremoto de Haití. ABC.es, 13-01-2010.
8. ↑ Un terremoto devasta Haiti. Premier: «Più di 100mila morti». Corriere della Sera, 13 de janeiro de 2010.
9. ↑ Pastoral da Criança.Nota sobre a morte da Dra.Zilda. 14 de Janeiro de 2010 09:25
10. ↑ Trechos do último discurso de Zilda Arns e Discurso da Doutora Zilda Arns Neumann proferido no Haiti no dia 12 de janeiro de 2010. (em espanhol)
11. ↑ Trabalho humanitário de Zilda Arns era reconhecido internacionalmente por Amanda Cieglinski. Agência Brasil, 13 de Janeiro de 2010.
12. ↑ Ganhadores do Opus Prize.
13. ↑ La tragedia de Haití se cobra la vida de la doctora Zilda Arns Neumann, premiada por la Universidad de Alcalá. Diario de Alcalá.es, 14 de janeiro de 2010
14. ↑ Com morte de Zilda Arns, Brasil perde "benfeitora" e "heroína", diz imprensa internacional. Folha Online, 14 de janeiro de 2010.

Fonte Wikpédia

terça-feira, 26 de janeiro de 2010

Acesso ao sambódromo do Anhembi (SP) para as pessoas com deficiência

Postado por: Deficiente Ciente | Categoria(s): | Postado: Segunda-feira, Janeiro 25, 2010

0

Carnaval 2010
As pessoas com deficiência terão cerca de 100 lugares reservados por noite e 50% de desconto na compra dos ingressos. Para ter acesso ao benefício, é necessário fazer cadastramento na sala da Ouvidoria na sede administrativa da São Paulo Turismo. Os interessados deverão trazer uma foto 3x4, RG (original ou cópia), além de laudo médico ou documento que comprove a deficiência. Cada caso será analisado individualmente.

Acompanhantes pagam valor integral do setor. No caso dos cadeirantes, os setores do Sambódromo com acesso reservado são B, D e G. Os acessos são facilitados por rampas e portões mais largos.
Há ainda transporte gratuito em vans do serviço de Atendimento Especial da prefeitura de São Paulo (Atende). O serviço estará disponível do Metrô Tietê ao Sambódromo e do estacionamento do Parque Anhembi ao Sambódromo, ambos funcionando tanto na ida quanto na volta.

Para desfilar
Leandro de Itaquera:
É preciso fazer inscrição na sede da escola na Rua Padre Viegas de Menezes, 66, Itaquera. Outras informações no site http://www.leandrodeitaquera.com/

Tradição:
Informações no site http://www.grestradicao.com.br/

Veja também sobre as inscrições para assistir o desfile do Rio, acessando o Blog Inclusivas, do Jeff.

Fonte: Revista Incluir







Terça-feira, Janeiro 26, 2010

Deficientes ganham esteira de acesso à praia e cadeira flutuante para o mar



Projeto 'Praia para Todos' começou na Barra e vai ser itinerante.
Iniciativa é da ONG Espaço Novo Ser e funciona aos domingos, no Rio.




A praia é conhecida pelos cariocas como o local mais democrático da cidade. Mas até hoje os deficientes físicos, principalmente os cadeirantes, não tinham acesso facilitado à areia nem ao mar. Neste domingo (24) foi dado o primeiro passo para essa inclusão social: o projeto “Praia para todos”, pioneiro no Brasil, foi lançado no Posto 3 da Barra da Tijuca, na Zona Oeste do Rio, com diversas atividades adaptadas.


A principal transformação – uma iniciativa da ONG Espaço Novo Ser, com apoio da subprefeitura da Barra e de patrocinadores - é uma esteira especial, de 30 metros, feita de fibra de plástico, que vai do calçadão às tendas na areia, o que permite a passagem da cadeira de rodas. Além disso, a chamada “cadeira anfíbia” leva o deficiente ao mar e ainda flutua na água. Nas duas tendas montadas, trabalham cerca de 30 profissionais, entre professores de educação física, fisioterapeutas, estagiários e voluntários. O Praia para Todos funciona somente aos domingos, das 9h às 14h.

O idealizador do projeto é o biólogo Ricardo Gonzalez Rocha Souza, que é cadeirante. Ele sofreu um acidente de carro em 1997 e contou que desde então busca novidades em acessibilidade no mundo. “Eu frequentava exatamente essa praia, pegava onda aqui. Depois do acidente, eu vinha à praia, mas só no calçadão. A praia adaptada é um sonho virando realidade”, disse.


Infraestrutura


Prancha de surfe adaptada pelo surfista Rico de Souza, mais vagas de estacionamento reservadas, rampas de acesso nas vias, sinalização sonora e até piso tátil para os deficientes visuais fazem parte da infraestrutura montada pelo projeto. Quando chegam à tenda, os deficientes têm disponíveis atividades como surfe, vôlei sentado, frescobol, peteca e o banho de piscina assistido, planejado para as crianças.

“O cara chega aqui, tem a cadeira anfíbia. Cansou, vai jogar vôlei; enjoou, vai surfar, vai jogar frescobol, o cara tem diversão toda hora”, destacou o cadeirante Fábio Fernandes, um dos organizadores do Praia para Todos e estudante de Direito. Em 1999, aos 23 anos, voltando de um show de uma banda a qual ele era o produtor, Fábio bateu de carro e ficou paraplégico.

“Antes a gente só descia do calçadão se fosse no colo. Hoje podemos falar que a praia é realmente para todos. Isso aqui vai se tornar um remédio para essas pessoas. Remédio para a depressão, para tudo”, exaltou ele, que tomou banho de mar e também pegou onda com a prancha adaptada.



O pequeno João Pedro, de 2 anos e 10 meses, tem uma doença rara, a leucodistrofia, que afeta o sistema nervoso central. A mãe dele, a dona-de-casa Nínive Oliveira Ferreira, contou que veio de Realengo e agora pode aproveitar a praia tranquila. João Pedro não queria sair da piscina, onde ficou com uma profissional.



“Para quem vive o problema, a gente sabe o tamanho da importância desse projeto. Antes eu só vinha do calçadão pra cima, eu não tinha como levar ele no mar ou na areia. É um projeto brilhante, espero que tenham outras iniciativas, porque o acesso é muito pouco”, disse.

Objetivo é ter posto fixo

O subprefeito da Barra da Tijuca, Tiago Mohamed, afirmou que está aberto a fazer as mesmas mudanças no Recreio. “O que a gente fez aqui é pouco perto do benefício que isso traz para eles. Os deficientes sempre estiveram excluídos desse espaço”, declarou ele.

O projeto é itinerante. Na Barra, vai ficar até o dia 28 de março. Depois, segue para Copacabana, na Zona Sul, e fica até o dia 25 de abril. Em seguida vai para a praia de Ipanema, do dia 2 ao dia 16 de maio. Por fim, o “Praia para Todos” vai para o Piscinão de Ramos, no subúrbio do Rio, do dia 23 ao dia 3 de maio.

A intenção dos organizadores é entregar um relatório de toda a estrutura para a Prefeitura do Rio, com o objetivo de que seja montado pelo menos um posto adaptado em cada praia da cidade e que ele seja fixo.


Fonte: G1

segunda-feira, 25 de janeiro de 2010

Theatro São Pedro adapta-se a pessoas com deficiência

Além de formar plateia, o projeto de inclusão pretende criar mão de obra especializada

"O cenário está com a cortina fechada. Um homem, vestido de branco, segura o chapéu. Ele canta dolorosamente uma história de amor e traição". A voz de Marli Nunes, audiodescritora do Instituto Vivo, revela a primeira cena de I Pagliacci (ópera do compositor napolitano Ruggero Leoncavallo) às 15 pessoas com deficiência visual na plateia do Theatro São Pedro. A iniciativa é resultado de parceria entre a Associação Paulista dos Amigos da Arte (Apaa) e a operadora de telefonia móvel Vivo, que oferece 15 pares de ingressos gratuitos para esse público nos dias de apresentação.

Aos 92 anos, o São Pedro investe em acessibilidade ao admitir a entrada de cães-guia durante as apresentações, além de oferecer recurso de audiodescrição, libretos de ópera em braile e ajuda de monitores.

Faz toda a diferença

Mais do que descrever a cena, a ferramenta oferece um mundo de possibilidades às pessoas com deficiência visual porque revela noção de espaço, cores, sentimentos, gestos dos atores, vestuário e até o cenário. "Sem a audiodescrição, a ópera seria apenas um espetáculo musical. Com esse moderno recurso, tenho as mesmas informações e sensações de quem enxerga. Algumas cenas são apenas gestuais, como um aperto de mão e, às vezes, um gesto faz toda a diferença para entender a história", garante Roseli Garcia, mestranda na Universidade Mackenzie.

Boas novidades

Pela segunda vez consecutiva, o Theatro São Pedro utiliza a moderna ferramenta. A primeira ópera com audiodescrição foi Cavalleria Rusticana, que ficou em cartaz em julho e foi sucesso de público.

No próximo ano, as peças exibidas no Teatro Sérgio Cardoso, na Bela Vista, devem contar com a tradução para a língua de sinais (Libras) para pessoas com deficiência auditiva. "É um projeto que pretendemos estender aos outros teatros do Estado", adianta Mário Masetti, diretor artístico da Apaa, responsável pelo São Pedro e por mais seis teatros estaduais.

De acordo com Marcelo Romoff, gestor do Programa Vivo EnCena, além de inserir as pessoas com deficiência no mundo da ópera, o programa procura formar profissionais para atuar nessa área. A patrocinadora oferece a técnica inclusiva no Teatro Vivo em São Paulo, em espetáculos como Andaime, A Cabra e Vestido de Noiva, entre outras.

Homenagem

O Barbeiro de Sevilha é uma das óperas mais encenadas no mundo. No dia 25 de novembro, às 20h30, uma montagem contemporânea estreia no Theatro São Pedro. A nova montagem é uma realização do Governo do Estado de São Paulo em coprodução com a Apaa.


Serviço
O Barbeiro de Sevilha
Theatro São Pedro
Rua Barra Funda, 171 - Barra Funda
Apresentações: 25 de novembro às 20h30, 27 de novembro, às 20h30, 29 de novembro às 17 horas; 1o de dezembro, às 20h30 e 3 de dezembro, às 20h30
Ingressos: R$ 20 (inteira) - grátis para pessoas com deficiência visual, limite de 15 pares por récita, pelo telefone 7420-1599 ou pelo e-mail vagner.nascimento@vivo.com.br

sábado, 23 de janeiro de 2010

Ponto de ônibus “verde” recolhe água





O projeto de Ramesh Kanth é bem simples: um telhado capaz de coletar a água da chuva e um sistema que a devolva à terra. Mas por que isso seria útil?

Porque, apesar de não parecer, grande parte da água da chuva não volta ao solo. Como nas grandes cidades a maior parte do chão é recoberta de asfalto e concreto, a chuva não pode ser absorvida de volta pela terra. A maior parte dela escorre pelo asfalto, entra em tubulações e é encaminhada para escoamento ou tratamento.

O acúmulo de água responsável pelas enchentes é em parte causado por essa falta de absorção do solo. Daí a ideia de Kanth poder ajudar a resolver o problema nas cidades.

A chuva cairia no telhado do ponto de ônibus e escorreria por uma série de canos por dentro do solo, até alcançar regiões não pavimentadas.

O projeto, claro, precisa ser aperfeiçoado. É necessário criar uma maneira dos canos não entupirem, e cavar fundo o bastante para que a água chegue mesmo à terra, e não acabe danificando estruturas subterrâneas.

Fonte: Eco4planet.com

sexta-feira, 22 de janeiro de 2010

ONG faz mobilização para aumentar livros acessíveis no país

21 de Janeiro de 2010 @ 13:52 por Viva

Embora existam várias leis no Brasil que garantem a acessibilidade à comunicação, são raros os livros acessíveis no país, isto é, produzidos em várias mídias para atender às pessoas portadoras de deficiência física ou intelectual, dislexia, amputados de membros superiores ou com dificuldades motora ou de leitura.

68358 - 68358
Pioneira na produção de livros e espetáculos acessíveis no país, a organização não governamental (ONG) Escola de Gente lança no próximo dia 18, no Rio, a publicação Os Inclusos e os Sisos - Teatro de Mobilização pela Diversidade. O livro conta a história de cinco jovens atores, alunos de artes cênicas da Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (Unirio), que desde 2003 se dispuseram a sair pelo Brasil encenando peças que buscam mobilizar as pessoas para a causa da diversidade e da inclusão.

O Decreto 5.296/2004 representou grande passo para tornar a comunicação mais acessível, disse à Agência Brasil a superintendente-geral da ONG, Claudia Werneck. “Se você faz um livro só impresso em tinta, você está sendo altamente discriminador não só em relação a quem é cego, mas também em relação ao analfabeto, que não teve acesso à educação. Você dá uma dupla punição para essa pessoa”.

Claudia explicou que quando se faz um livro acessível, ele não é voltado somente para pessoas com deficiência. “A gente está falando em pessoas que tiveram um AVC [acidente vascular cerebral], analfabetos, pessoas com deficiência intelectual, com dislexia. Então, o livro acessível é um conceito muito amplo; a ideia de ter um livro ou folheto impresso só em tinta é uma ação de discriminação no processo de comunicação”.

No ano passado, o governo assinou o Decreto 6.649, que ratificou a Convenção das Pessoas com Deficiência, da Organização das Nações Unidas (ONU). “Essa convenção foi o primeiro tratado de valor constitucional no Brasil”, destacou Claudia. Ela foi aprovada pelo Congresso Nacional e virou uma superlei, que aborda também a questão da acessibilidade na comunicação.

O livro da ONG é editado em oito mídias, incluindo CD de áudio MP3, DVD em libras (linguagem para surdos), conteúdo para computador nas versões PDF, OpenDoc, TXT e Daisy. A obra é impressa no formato espiral para facilitar o manuseio pelas pessoas com algum tipo de deficiência. “O livro acessível faz parte desse movimento de você dar novo significado ao livro”, disse Claudia Werneck. O objetivo é garantir rapidez no processo de democratização da cultura no Brasil, acrescentou.

Segundo Claudia, o livro acessível tem relação direta com a política, com direitos humanos, entre outras áreas. “Entretanto, ele ainda é considerado um favor. A gente acha o contrário. Na concepção do que é ler e ter acesso à comunicação, todos esses formatos [de livro] têm igual valor. Não existe nada que seja subjacente”.

Outra novidade introduzida pela organização Escola de Gente é que o livro não será vendido, apesar de ser um projeto aprovado pela Lei Rouanet [de incentivo à cultura] e ter patrocinadores. Escrito na forma de um espetáculo teatral, ele será distribuído com a meta de facilitar a democratização desse produto para profissionais e instituições interessadas em conhecer livros em formato acessível. O objetivo é não só informar as pessoas quanto à acessibilidade na comunicação, mas também sensibilizar e mobilizar a população para essa causa. (Edição: Graça Adjuto)

Fonte: http://envolverde.ig.com.br/materia.php?cod=68358&edt=1

quinta-feira, 21 de janeiro de 2010

Curso de Jardinagem Grátis em Curitiba

A Escola Maria Ruth Junqueira oferece curso profissionalizante gratuíto de jardinagem. O curso é o único da cidade de Curitiba e região metropolitana e está prestes a ser cancelado pela falta de alunos. Abaixo seguem os dados do curso para os interessados. Por favor, divulguem!

O curso dura 6 semanas e tem aulas diariamente das 13:30 as 17:30h. A próxima turma iniciará no dia 08/02 e as inscrições podem ser feitas a partir do dia 27/01, quando a escola volta do recesso de férias. O curso não tem pré-requisito e ao final há um certitificado de profissionalização.
O curso é ministrado na unidade da Av. das Torres, atrás do Big. AS inscrições podem ser feitas na Rua Augusto Stelfeld, 365. Telefone 3223-6171.

Se precisarem de mais informações, favor entrar em contato com a instrutora pelo e-mail giselakoloda@hotmail.com

quinta-feira, 21 de Janeiro de 2010

HOJE DIA 21, INICIOU O ANO EUROPEU DE LUTA CONTRA A POBREZA E A EXCLUSÃO SOCIAL

Apesar de a União Europeia ser uma das regiões mais ricas do mundo, 17% da sua população não tem os meios necessários para satisfazer as suas necessidades mais básicas.

A pobreza é normalmente associada aos países em vias de desenvolvimento nos quais a subnutrição, a fome e a falta de água limpa e potável são desafios quotidianos. Contudo, a Europa também é afectada pela pobreza e pela exclusão social, onde apesar de estes problemas poderem não ser tão gritantes, são ainda assim inaceitáveis. A pobreza e a exclusão de um indivíduo implicam o empobrecimento de toda a sociedade. A Europa só pode ser forte se utilizar ao máximo o potencial de cada um dos seus cidadãos.

Não há nenhuma solução milagrosa para acabar com a pobreza e com a exclusão social mas uma coisa é certa: não podemos vencer esta batalha sem si. É tempo de renovarmos o nosso compromisso para com a solidariedade, justiça social e maior inclusão. Chegou o momento do Ano Europeu Contra a Pobreza e a Exclusão Social.

Um valor fundamental da União Europeia é a solidariedade, particularmente importante em tempos de crise. A palavra “União” diz tudo – enfrentamos juntos a crise económica e é esta solidariedade que nos protege a todos.

Restante informação, no site da Comissão Europeia.

Veja no Jornal Público, um estudo de 2008 sobre os riscos da pobreza no nosso país.

quarta-feira, 20 de janeiro de 2010

DICAS PARA LIDAR COM ALUNO DISLEXICO




FONEMAS FRUSTRANTES

Os cérebros dos disléxicos têm conecções diferentes dos cérebros normais, e portanto processam a linguagem com menos eficiência. Em particular, os disléxicos têm dificuldade com as unidades de linguagem chamadas fonemas. Os fonemas são definidos como os menores segmentos compreensíveis da linguagem.(não confundir fonema com letra, o primeiro refere-se a som, o segundo a escrita) Por exemplo, a palavra falada "pato" é constituida de quatro fonemas: pêe, aaa, têe, ooo. Para a maioria das pessoas, o processo de quebrar as palavras em fonemas ocorre autamaticamente, sem pensamento consciente. Assim como nos separamos os fonemas sem pensar nisso, nos também os introduzimos em nossa fala automaticamente: "pato" tem duas sílabas, mas é feito de quatro sons distintos. Entre os 4 e 6 anos, as crianças percebem que os fonemas fazem as palavras.

Dificuldades com Fonemas

Os disléxicos não decodificam as palavras, eles têm dificuldade em acessar a informação pertinente àquela palavra que eles armazenaram. Eles freqüentemente confundem palavras com sons semelhantes como "vaca" e "faca." Quando é mostrada a figura de uma vaca, por exemplo, um disléxico pode chamá-la, uma "faca", embora quando solicitado para defini-la, ele corretamente responde, que é um animal que dá leite e carne. Em outras palavras, o disléxico sabe o que o objeto é, mas ele ou ela não podem acessar a palavra correta para este.
Dislexia a guerra das letras.

Por Suzel Tunes (stunes@edglobo.com.br)

Fábio adora comida esotérica (quer dizer, exótica). Tem uma amiga que fala quatro idiomas, é troglodita (quer dizer, poliglota). Corajoso, ele nunca se adromenta (amedronta). E seu filho vai ser engenheiro mecânico, como o pai, afinal, "peixinho de peixe, peixinho é".

Com o Fábio é assim... Não lhe peça para recitar provérbios ou ditos populares, que ele erra todos. Se pudesse, não leria nem bula de remédio. Vive fazendo confusão de palavras, troca letras e sílabas e tem vocabulário muito pobre, sobretudo na escrita.

Não é piada. Não é ignorância. É dislexia...


Na minha adolescência e início da vida adulta, estudei com uma amiga muito querida que trocava todos os provérbios... "Eu tô com um pé atrás da orelha", "Você ainda vai plantar aquilo que colheu" e por ai afora...

Para a gente era engraçadíssimo, ela era folclórica!

Padinha (o sobrenome dela), na faculdade, levou dp (dependência) de português do 1º ao 4º ano. A gente brincava dizendo que ela tinha feito um curso de especialização em Língua Portuguesa junto com a faculdade.

Hoje, tantos anos depois, relembro do nosso colegial e das aula do ensino superior e tenho certeza: Ela é disléxica!

Sorte que por ser inteligente e bem humorada e ter amigas que lhe davam suporte, nunca sofreu grandes discriminações, mas, o que a gente enchia a paciência dela...

Fernanda M F C Cruz

Disléxicos famosos


O físico alemão Albert Einstein não falou até os quatro anos de idade; não conseguia ler até os nove. Falhou nos exames de admissão para o colegial e só conseguiu passar após um ano adicional de preparatório.

Ao se dedicar à Física, no entanto, seu elevado grau de criatividade permitiu que ele alçasse vôos altos, criando conceitos revolucionários para a época.

Essas características fazem muitos especialistas acreditarem que Einstein era disléxico, assim como o pintor Leonardo da Vinci, do inventor Thomas Edison e até do escritor Hans Christian Andersen...

Como identificar um aluno disléxico?


Mesmo com todas as dificuldades que a dislexia pode trazer para a vida escolar de uma criança, é possível contornar o problema.

O mais importante é que os pais – e principalmente os professores – estejam sempre atentos.

O grau da "doença" varia muito e os sinais costumam ser inconstantes.



A seguir algumas das características mais comuns:


A criança é inteligente e criativa – mas tem dificuldades em leitura, escrita e soletração.

Costuma ser rotulado de imaturo ou preguiçoso.

Obtém bons resultados em provas orais, mas não em avaliações escritas.

Tem baixa auto-estima e se sente incapaz.

Tem habilidade em áreas como arte, música, teatro e esporte.

Parece estar sempre sonhando acordado.

É desatento ou hiperativo

Aprende mais facilmente fazendo experimentos, observações e usando recursos visuais.

Visão, leitura e soletração:

Reclama de enjôos, dores de cabeça ou estômago quando lê.

Faz confusões com as letras, números palavras, seqüências e explicações verbais.

Quando lê ou escreve comete erros de repetição, adição ou substituição.

Diz que vê ou sente um movimento inexistente quando lê, escreve ou faz cópia.

Parece ter dificuldades de visão, mas exames de vista não mostram o problema.

Lê repetidas vezes sem entender o texto.

Sua ortografia é inconstante.

Audição e linguagem:

É facilmente distraído por sons.

Tem dificuldades em colocar os pensamentos em palavras. Às vezes pronuncia de forma errada palavras longas.

Escrita e habilidades motoras:

Dificuldades com cópia e escrita. Sua letra muitas vezes é ilegível.

Pode ser ambidestro. Com freqüência confunde direita e esquerda ou acima e abaixo.

Matemática e gerenciamento do tempo:

Tem problemas para dizer a hora, controlar seus horários e ser pontual.

Depende dos dedos ou outros objetos para contar. Muitas vezes sabe a resposta, mas não consegue demonstrá-la no papel.

Faz exercícios de aritmética, mas considera difícil problemas com enunciados.

Tem dificuldade em lidar com dinheiro.

Memória e cognição:

Excelente memória a longo prazo para experiências, lugares e rostos. No entanto têm memória ruim para seqüências e informações que não vivenciou.



Fonte: Dyslexia The Gift www.dyslexia.com


http://dislexia.zip.net/arch2007-12-16_2007-12-22.html#2007_12-19_21_41_49-3989517-0
CONHEÇA O BLOG DISLEXIA :

segunda-feira, 18 de janeiro de 2010











Espasticidade



Espasticidade

· Trata-se de uma hipertonia baseada na intensificação das atividades reflexas que utilizam o arco miotático, devido a lesão do neurônio motor superior envolvendo o trato retículo espinhal e o cortiço rubro espinhal.

Fisiopatologia

· É uma manifestação secundária a lesão, devido as alterações causadas na via cortiço-retículo-bulbo-espinhal.

Freqüentemente encontrada em:

· Paralisia Cerebral

· Acidente Vascular Cerebral.

· Traumatismo crânio cefálico.

· Traumatismo raquimedular.

· Neoplasias.

· Doenças desmielinizantes

Quadro Clínico:

· Aumento da resistência do músculo em estiramento.

· Diminuição da resistência muscular após um certo grau de estiramento.

· Distribuição desigual no território muscular afetado.

Vantagens:

· Aumento da espasticidade pode ser uma advertência de dor ou problemas nas regiões sem sensibilidade.

· Ajuda a manter o tônus muscular.

· Mantem a densidade óssea.

· Ajuda a promover a circulação do sangue.

· Em alguns casos é usado para locomoção utilizando seus espasmos extensores para transferir ou caminhar com apoio.

Desvantagens:

· Interfere nas atividades da vida diária, dificulta transferências, no dormir, caminhar com apoio, sentar.

· Pode causar lesões de pele, escoriações ou traumas.

· Pode causar movimento limitante da articulação.

· Contrai a bexiga, impedindo de tornar-se um reservatório útil.

· Facilita a instalação de deformidades.

Tratamento:

· Exercício diário de extensão.( Fisioterapia )

· Evitar fatores estimulantes.

· Proteger para não causar lesões.

· Evitar calor ou frio intenso.

· Relaxar a fim de reduzir o nível de stress ou tensão.

· Iniciar com medicação específicas, Botox.

Minha visão:

. Complexo,né?Na liguagem mais popular, são aqueles movimentos involuntários, principalmente das pernas.A intensidade varia de lesão para lesão.
A minha espasticidade é moderada, não atrapalha no dia dia, Mas já levei alguns sustos de quase cair da cadeira!!!
Antes de tomar qualquer medicamento consulte um Fisiatra.
0 comentários
Sentidos Universais

Casa Cor 2008 ganha espaço para despertar Sentidos Universais

A área, de 12 metros quadrados, recebeu o nome Espaço Sentidos Universais Mara Gabrilli. A proposta, idealizada por Mara Gabrilli, presidente do Instituto Mara Gabrilli, projetada pelo Instituto Brasil Acessível e patrocinada pela Company S. A., pretende mostrar ao público quais as dificuldades enfrentadas no dia-a-dia pelas pessoas com deficiência ou mobilidade reduzida.

Despertar o entendimento do público para a acessibilidade é o principal objetivo do Espaço Sentidos Universais Mara Gabrilli, que aparece pela primeira vez na Casa Cor. Em outras edições da mostra, o quesito acessibilidade já fazia parte dos projetos de arquitetos, designers e artistas, graças à parceria realizada com a Secretaria da Pessoa com Deficiência da Prefeitura de São Paulo, pasta que foi coordenada pela Mara Gabrilli. Mas este ano, a proposta é que os visitantes façam uma experiência sensorial interativa, testando as dificuldades e facilidades do ambiente, inclusive na comunicação. O espaço com piso tátil vai desafiar aqueles que passarem por lá a entenderem - na prática - como é fazer coisas comuns, como caminhar dentro de casa, quando se tem alguma deficiência ou dificuldade de locomoção.

As pessoas vão vivenciar as dificuldades de quem tem alguma deficiência motora ou sensorial. Logo na entrada, os visitantes escolherão qual deficiência pretendem experimentar:
  • se a motora - então passearão pelo espaço em cadeira de rodas;
  • se visual - quando colocarão óculos para diminuir a visão;
  • se auditiva - usando um tampão nos ouvidos;
  • ou se querem ficar como idosos - nesse caso, são colocados pesos nas pernas para mimetizar a perda de força nos movimentos.
  • Com as devidas ferramentas, o visitante faz um passeio e aprende quais são as medidas, por vezes bem simples, que facilitam o cotidiano dessas pessoas. CLIQUE AQUI e faça download gratuito da Cartilha de Desenho Universal e aprofunde seu conhecimento sobre o assunto.
A idéia do espaço nasceu quando Mara Gabrilli esteve no Japão, no ano passado, para conhecer o Desenho Universal, conceito criado em 1987 pelo arquiteto Ron Mace. Esse novo conceito surgiu da necessidade de aproximação dos espaços e produtos que projetamos e produzimos, tornando-as utilizáveis por todas as pessoas, num aspecto realmente UNIVERSAL.
A proposta do Espaço Sentidos Universais Mara Gabrilli é sensibilizar todos os visitantes para que comecem, dentro das suas próprias casas, a tomar medidas mais inclusivas. Ainda, durante a mostra, serão distribuídas cartilhas explicando o que é o conceito do Desenho Universal.

Serviço:
Espaço Sentidos Universais Mara Gabrilli
Casa Cor 2008
Espaço nº 7
Idealizado pelo Instituto Mara Gabrilli, desenvolvido pelo Instituto Brasil Acessível (IBA) e patrocinado pela Company S.A.
Aberto ao público: a partir de 20 de maio a 9 de julho - De terça a domingo das 12hs às 21hs (inclusive feriados)
Jockey Club de SP - Av. Lineu de Paula Machado, 875 – São Paulo
Ingresso: R$ 30,00 de terça a sexta e R$ 40,00 sábados, domingos e feriados. Estudantes e idosos pagam meia entrada. Menores de 10 anos não pagam.

Aparelho lê em voz alta para pessoas com deficiência visual

Postado por: Deficiente Ciente | Categoria(s): , | Postado: Quarta-feira, Novembro 18, 2009

0

Aparelho foi criado por Ben Foss, um pesquisador da Intel que tem dislexia e que resolveu ajudar quem tem problema de visão ou dificuldade de aprendizado.

Intel lança dispositivo móvel para pessoas com dislexia, problemas de visão ou cegueira

A Intel anunciou no dia 10/11 o Reader, um dispositivo móvel criado para ajudar pessoas com dislexia, outras dificuldades de aprendizagem ou que tenham problemas de visão, como cegueira parcial ou total, o que torna a leitura de palavras impressas difícil ou impossível.

Do tamanho de um livro, o Reader converte texto impresso em digital e depois o lê em voz alta para o usuário. O design do aparelho combina uma câmera de alta resolução com o poder do chip Atom, permitindo que os usuários escutem o texto impresso.

Grandes quantidades de texto, como um capitulo inteiro de um livro, poderão ser facilmente capturadas para leitura posterior quando o Reader for utilizado em conjunto com o Portable Capture Station.

Os usuários terão acesso confortável e flexível a uma variedade de materiais impressos, ajudando não apenas a aumentar a liberdade deles, mas também a melhorar a produtividade e a eficiência na escola, no trabalho ou em casa.

O conceito original do Reader foi criado por Ben Foss, um pesquisador da Intel identificado na escola elementar como um entre os 20% de pessoas de todo o país que apresentam sintomas de dislexia.

Ao longo de muitos anos, ele dependeu da ajuda dos outros ou de um duro processo para extrair as letras da página sozinho. Quando ele ficou adulto muito do conteúdo que desejava - dos materiais profissionais até leituras só por prazer - não estava disponível em áudio.

Só nos Estados Unidos existem 55 milhões de pessoas que podem ser ajudadas pelo Reader.

O aparelho vai ser lançado nos Estados Unidos. Para o Brasil ainda não há uma data de lançamento nem preço para o usuário final.

Fonte: R7 (10/11/09)

Veja também nesse blog:
Intel Reader – leitor de e-books para deficientes visuais

Dança para surdos

Quem disse que surdos não podem ser dançarinos ou curtir uma música? O Grupo de Dança Surdos Videira é uma prova que tudo é possível através da interação de um trabalho desenvolvido que objetiva a inclusão social.
Liderado pelo intérprete Nilton Câmara, o grupo de 5 pessoas ensaiam coreografias e as apresentam em eventos particulares ou do governo na cidade de Fortaleza - CE. De acordo com Câmara, o grupo é reduzido porque é necessário trabalhar com cada um de forma intensiva e aproveitando melhor as habilidades individuais.
Há uma seleção para ingressar no grupo de dança. Na primeira fase, os candidatos são avaliados pelo histórico escolar e familiar, após essa aprovação há os requisitos técnicos de ritmo e expressão corporal. Essa triagem ocorre em média uma vez por ano.
Antes de qualquer atividade corporal, Nilton prepara seus alunos para conhecer a letra da música que será dançada, compreendendo seu significado e auxiliando nos conhecimentos da Língua Portuguesa. O próximo passo é sentir as vibrações do som e daí aplicar o texto a Libras (Língua Brasileira de Sinais), que é quando os participantes “cantam”. Isso resulta em musicalidade do corpo.
A sala de ensaio é adaptada com objetos simples, como o espelho, o aparelho de som com potência para deixar a música em volume altíssimo e o chão de assoalho de madeira, que facilita o aluno a sentir as vibrações.
Cada jovem apresenta sua facilidade ou dificuldade em demonstrar seus talentos, por isso os ensaios podem chegar até 8 meses, mas o que se busca é o nível possível de cada um, sendo trabalhados as expressões corporal e facial. Isso reflete no comportamento no âmbito social, pois passa a se expressar melhor vencer a timidez.
A proposta principal do projeto é transformá-los em atores com autonomia e não apenas em copistas, que imitam os sinais repassados por um ouvinte.
“Esse projeto é fundamental para a valorização da pessoa surda, que passa a se sentir cidadãos de direitos e além de valorizar a autoestima, acreditando que é eficiente e capaz de qualquer atividade através de outros sentidos que são aguçados, em que se iguala a outras pessoas sem deficiência. Assim ela conquista o seu espaço”, diz Nilton Câmara.
Para obter maiores informações sobre o grupo ligue: (85) 9969-4059
www.niltoncamara.net

Música linguagem Universal!Quebrando BARREIRAS!


sábado, 16 de janeiro de 2010

Empresa cria limusine que também é motocicleta

Fontes: Época & Globo
LimoBike: conforto e luxo de limusine, com o estilo "selvagem" de uma moto Harley-Davidson
Depois que as festas em limusines viraram coisa de adolescente na Europa e Estados Unidos, uma empresa na Austrália decidiu reinventar a brincadeira, criando a primeira LimoBike. Trata-se de um veículo híbrido que tem a parte traseira de uma antiga limusine, mas a frente é impulsionada por uma autêntica moto Harley Davidson.


SAIBA MAIS O “veículo” tem espaço para levar até oito pessoas na parte fechada e, como se pode ver pela foto, o “motorista” pode adotar o mesmo estilo dos famosos motoqueiros americanos, os Hell’s Angels, e dirigir com os cabelos ao vento.

A ideia da empresa, a Wildlife Tours, que já oferece passeios na garupa de uma Harley Davidson para turistas e conta com uma frota de mais de 250 motos, é que esse veículo seja usado para festas, fotos e lançamentos de produtos. Ou seja, além de garantir uma entrada com muito estardalhaço, a LimoBike pode ser uma ferramenta de marketing em eventos - ou mesmo uma maneira de impressionar os colegas na chegada ao escritório.

A expressão limobike vem sendo usada por várias empresas, incluindo a Virgin e mais livremente pelos motoqueiros em Jacarta, mas refere-se geralmente a uma moto-táxi, em que o passageiro vai na garupa. Com essa LimoBike, agora sim se pode falar em transporte de luxo.

Novos painéis a laser usam até 75% menos energia que as telas atuais

LCDs, chegou a hora de dar espaço às LPDs. A Xconomy fala de uma empresa na Califórnia cujos Laser Phosphor Displays (LPD) usam apenas 25% da eletricidade exigida pelas LCDs ou LEDs atuais.

As telas de LPD supostamente podem vir em qualquer tamanho ou formato, seja um quadrado ou uma longa “fita” com imagens. Isso poderia permitir a muito mais cidades terem luzes como as de Times Square ou Tóquio.

A empresa Prysm se mantém bastante quieta a respeito da tecnologia LPD, mas a ideia básica vem de eliminar a cara camada de transistores que ajudam a carregar cada pixel de uma tela LCD em HDTVs, monitores ou smartphones. Em vez disso, as LPDs usam um laser que pisca, ligado ou desligado, enquanto varre um padrão de tiras de fósforo (phosphor).

Não muito diferente das antigas TVs de raio catódico (as CRTs), que usam um feixe de elétrons para ativar um campo de fósforos eletrosensitivos. E em vez dos ímãs usados nas CRTs, são “espelhos scanners” giratórios que direcionam o laser de alta eficiência por dentro de uma tela LPD.

As primeiras gerações de telas LPDs poderão custar mais do que uma LCD ou LED, mas a Prysm enxerga economia de custos com energia, assim como a ausência de lâmpadas que possam quebrar e tenham que ser substituídas. A empresa também diz que as LPDs têm maior resolução, não sofrem de motion blur e podem ser vistas de mais ângulos do que as telas comuns. Assim que a produção de LPDs aumentar, os custos podem cair o bastante para que elas sejam usadas comumente em smartphones e monitores.

O primeiro plano da Prysm é ter como alvo a substituição por LPD dos grandes displays que possam se beneficiar da economia de energia a longo prazo. Então, procure por eles na próxima vez em que estiver passeando por uma grande e iluminada metrópole.

Fonte: Ecoplanet.com

sexta-feira, 15 de janeiro de 2010

Hábito 7: Afine o Instrumento (Renovação)

O Hábito 7 significa parar para afiar a serra que assim ela cortará mais rápido.
O Hábito 7 é o seu CP pessoal – preserva e melhora seu bem mais precioso, que é
você. Renova as quatro dimensões de sua natureza – física, espiritual, intelectual e
emocional. As quatro dimensões de sua natureza devem ser exercidas com
regularidade, de forma equilibrada e sensata. Renovar a dimensão física significa
comer os alimentos adequados, descansar e relaxar e praticar exercícios
regularmente. A dimensão espiritual é o seu comprometimento com o sistema de
valores. A renovação vem da oração, meditação e leituras espirituais. A dimensão
mental é o desenvolvimento permanente do intelecto através da leitura, seminários e
da escrita. Estas três dimensões pertencem ao Quadrante II e não podemos recusar
o tempo necessário a elas. A dimensão emocional de nossas vidas está vinculada
aos relacionamentos com os outros, e através deles se manifesta. Esta atividade não
exige tempo, mas requer treinamento.

quinta-feira, 14 de janeiro de 2010

Botox pode espalhar toxina pelo corpo, diz estudo

Meus amigos,

No sábado, 16 janeiro de 2010, eu vou pro hospital aplicar botox no meu corpo todo. Por isso irei publicar um estudo sobre o botox!!

Sorte a mim!

Abraço!

Em estudo realizado por cientistas canadenses sugere que a toxina botulínica, principal substância do Botox, se espalha com facilidade pelos músculos além da região onde foi injetada, o que pode provocar paralisia e enfraquecimento dos músculos vizinhos.
Publicado na edição desta semana da revista científica Journal of Biomechanics, o estudo foi liderado pelo médico e pesquisador Walter Herzog, da Universidade de Calgary. Ele vinha usando a toxina botulínica como parte de suas pesquisas sobre artrose e a influência do enfraquecimento dos músculos na degeneração das juntas.
A intenção do médico era usar a toxina para paralisar temporariamente os músculos e analisar o impacto nas juntas. Para isso, Herzog injetou a substância em um músculo na perna de um gato e observou que, quatro semanas depois da injeção - período no qual a toxina atinge o efeito máximo - a substância havia se espalhado pelos músculos vizinhos e os enfraquecido.
"A principal razão pela qual isso é relevante é que muitas pessoas acreditam que quando o Botox é injetado em um músculo, fica apenas naquela região. No entanto, a pesquisa mostra que isso não é assim tão fácil de controlar", afirma Herzog.
Segundo o médico, apesar dos benefícios do uso do Botox como ferramenta terapêutica, é preciso conhecer melhor sobre o produto. "Com o aumento no uso da toxina botulínica tipo A nos humanos é importante entender mais sobre os efeitos funcionais deste produto que, no final das contas, é uma toxina", disse o médico.
Alerta
A publicação da pesquisa segue um alerta recente feito pela Food and Drug Administration (FDA, na sigla em inglês) - principal órgão de vigilância sanitária nos Estados Unidos - sobre os efeitos colaterais da toxina botulínica.
O alerta se referia à relação da toxina com sintomas graves de botulismo, como dificuldade de deglutição e respiração. Estas reações seriam causadas quando a toxina se espalha além da região onde teria sido aplicada, o que teria provocado, em alguns casos, a paralisia e enfraquecimento dos músculos responsáveis por estas funções - um efeito colateral que, segundo a agência, pode ser fatal.
Na época, a empresa Allergan, produtora do Botox, afirmou à BBC Brasil que o comunicado emitido pelo FDA dizia respeito "principalmente a relatos específicos de eventos adversos relacionados a crianças que sofrem de paralisia cerebral juvenil e são tratadas com Botox".
Segundo um porta-voz da empresa, os casos de eventos adversos relatados pela FDA, "envolvem crianças que estão seriamente comprometidas, muitas vezes por sintomas relacionadas à sua condição de saúde".
Indicações
A toxina botulínica é usada em tratamentos estéticos e medicinais. Os tipos mais comuns são o Botox (toxina tipo A) e o Myobloc (tipo B), usados em procedimentos estéticos para atenuar as rugas da pele e em diversas condições médicas.
Na medicina, a toxina é utilizada no tratamento de paralisia cerebral, espasticidade muscular, estrabismo e diversas síndromes neurológicas. No Brasil, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), autoriza o uso da toxina desde 1992 para tratamentos de espasticidade e paralisia cerebral, entre outros diagnósticos.

Fonte: BBC Brasil

segunda-feira, 11 de janeiro de 2010

Hábito 6 : Sinergia

Sinergia significa que o todo é maior do que as partes. Os primeiros cinco
hábitos preparam para o Hábito 6. Ele foca o conceito de Ganha/Ganha e as
habilidades de comunicação empática para enfrentar os desafios e trazer novas
opções que não existiam antes. A sinergia ocorre quando as pessoas abandonam
suas comunicações monótonas e a mentalidade Ganha/Perde e se abrem para uma
cooperação criativa. Quando há uma compreensão genuína, as pessoas encontram
soluções que são melhores do que encontrariam agindo individualmente.

sábado, 9 de janeiro de 2010

BASTA BOA VONTADE? SOFTWERE LIVRE. CONHECIMENTO LIVRE. QUEBRA DE PARADIGMAS

“Foi muito difícil... NÃO HAVIA LEITOR DE TELA,AMPLIADOR DE TELA,NEM COMPUTADOR ESPECIAL.

No momento que tive acesso a tecnologia de repente passei a ser o quarto aluno numa sala 904 alunos, na universidade É ISSO FOI ESTRAORDINÁRIO,O MESMO ESFORÇO,A MESMA DEDICAÇÃO,A MESMA PESSOA,MAIS TENDO A TECNOLOGIA ADEQUADA ,EU SENTI UMA TREMENDA MUDANÇA NO RESULTADO!!!”.(Fernando Botelho consultor)

Graças as tecnologias concluiu a universidade,fez mestrado e deslanchou na carreira.

Ele pode comprar uma tecnologia no Brasil no valor de 3 00 mil reais e aqueles que não tem acesso?Pensando nisso,Fernando , sonha com um softwer gratuito com apoio das políticas públicas e empresas para levar esse recurso para 6 países da America Latina.

Confira o vídeo na integra!!!

video