terça-feira, 29 de novembro de 2011

Curso: Inclusão de Pessoas com Deficiência e Mobilidade Reduzida na Educação para o Trânsito


Lumiy lumiylumiy@gmail.com




Nome do Curso: Inclusão de Pessoas com Deficiência e Mobilidade Reduzida na Educação para o Trânsito
Categoria do Curso: a distância
Nome do Responsável: CET - Companhia de Engenharia de Tráfego
Horário do Curso: 8:30
Endereço: www.cetsp.com.br, S/N
Cidade: São Paulo
Estado: SP
Tema: Inclusão no trânsito
Carga horária: 20 horas
Objetivo do Curso: conscientizar a população quanto às pessoas com deficiência e seu processo de inclusão na sociedade
Público alvo: educadores, cuidadores, profissionais de ONGs e interessados no tema
Investimento (R$): Gratuito - tem cerficação.

 
Realização: CET
Mais informações:
http://www.cetsp.com.br/consultas/educacao/ensino-a-distancia/publico-em-geral/inclusao-da-pessoa-com-deficiencia-e-mobilidade-reduzida-na-educacao-para-o-transito.aspx
Conteúdo

Aula 00 - Ambientação no Blackboard

Objetivos: Conhecer os recursos midiáticos do Ambiente virtual e promover integração dos participantes.

- Tutorias das ferramentas colaborativas;
- Apresentação da navegação do curso;
- Dicas de organização do tempo para estudo;
- Publicação do perfil dos participantes;
- Atividade de integração: Fórum de Apresentação.

Aula 01 - Pessoas com deficiência: história e relacionamento

Objetivos: Conscientizar o público a respeito do contexto histórico da pessoa com deficiência e o relacionamento com elas.

- Contexto mundial e brasileiro das pessoas com deficiência;
- Dados brasileiros;
- Conhecendo cada deficiência - física, auditiva, visual, intelectual e múltipla.
Aula 02 - Direitos das pessoas com deficiência

Objetivos: Sensibilizar o público a respeito da importância da Convenção sobre os Direitos das pessoas com deficiência, bem como a importância e o conceito do Desenho Universal.

- Aspectos legais relevantes sobre a pessoa com deficiência;
- Convenção sobre os direitos da pessoa com deficiência;
- Acessibilidade - definição;
- Desenho Universal - conceito e princípio;

Aula 03 - Inclusão X Integração: o processo da pessoa com deficiência no Ensino Infantil e Fundamental

Objetivos: Apresentar ao público os processos de inclusão e integração e o processo de inclusão da pessoa com deficiência no Ensino Infantil e Fundamental.

- Inclusão e integração;
- Autonomia, independência e empoderamento;
- Alunos com deficiência no Ensino Infantil;
- Alunos com deficiência no Ensino Fundamental;
- Inclusão e exclusão.

Aula 04 - Circulação urbana da pessoa com deficiência

Objetivos: Apresentar ao público como se dá a circulação urbana da pessoa com deficiência.

- Circulação e mobilidade do pedestre;
- A cidade e a pessoa com deficiência e mobilidade reduzida;
- Cuidados na rua - dicas de segurança para a circulação urbana;
- A educação para o trânsito - ações direcionadas para a cidadania.


Carga horária

O curso terá carga horária de 20h distribuídas em quatro aulas, a serem cursadas durante o período de 3 semanas.


Método e avaliação

Modelo pedagógico baseado na combinação de atividades colaborativas, aprendizagem orientada pelo tutor e auto-aprendizagem. Os alunos serão avaliados, considerando a participação em 75%, no mínimo, das atividades do curso e nota mínima 5,0 da Avaliação Final. Serão computadas também como participação: a interação nos fóruns e a realização dos Quizz's (testes solicitados no final de cada aula).
Início do curso

As orientações e a data de início da turma serão enviadas por email. A efetivação da matrícula e indicação de turma está condicionada ao número de participantes necessário para a realização do curso. Mantenha sua caixa postal vazia sob risco de não receber nossas comunicações.


Observações

A CET reserva-se o direito de alterar datas, horários, ou cancelar o programa.
A qualquer momento, poderá ser solicitado, documentação que comprove as informações prestadas pelo aluno.


Certificação

A CET confere certificado, que será enviado por email aos alunos aprovados no curso.


Requisitos tecnológicos

- Acesso à internet por linha discada (conexão mínima 56 k) ou banda larga
- Linux, Windows XP ou superior
- Possuir endereço eletrônico
- Plug-in dos aplicativos: Flash Player, Acrobat Reader, Media Player, Java Runtime Environment
- Browsers de navegação: Internet Explorer versão 7.0 ou superior; Mozilla Firefox 2.0 ou superior (sem bloqueador de pop-up)
- Mínimo de 128 Mb de memória Ram
- Drive leitor de CD Rom
- Placa de som
- Caixas de áudio ou fone de ouvido
- Microfone (em caso de conferências de áudio)
(AS TURMAS PARA O ANO DE 2012 - AS INSCRIÇÕES REALIZADAS A PARTIR DE 18.11.11 )

Documentário: Tecnologia para pessoas com mobilidade reduzida

segunda-feira, 28 de novembro de 2011

Acessibilidade e inclusão foram abordadas durante encontro


Além de discutir sobre reabilitação, novas tecnologias e inclusão, o evento promoveu exposição de produtos direcionados às pessoas com deficiência
Durante os dias 24 e 25/11, quinta e sexta-feira, o Conselho Paranaense de Cidadania Empresarial (CPCE) promoveu o Encontro Paranaense de Reabilitação, Inclusão e Tecnologia, evento este que contribui com um novo cenário para que pessoas com deficiência (PcD), mobilidade reduzida e idosos possam garantir e defender melhores condições em ambientes utilizados por cidadão comuns.
Na abertura do encontro estiveram presentes o presidente executivo do CPCE, Victor Barbosa, o secretário especial municipal da pessoa com deficiência, Irajá de Brito Vaz e o representante da secretaria nacional da pessoa com deficiência, Fernando Antônio Ribeiro.

clique para ampliar clique para ampliarEquipe paranense de basquete adaptado fez demosntrações durante o encontro (Foto: Gelson Bampi)
Em seu discurso, Fernando colocou que as barreiras impostas pela sociedade são as maiores dificuldades da deficiência e que os percalços só serão rompidos quando for possível a igualdade de oportunidades, criação de espaços acessíveis e os direitos da PcD forem legitimamente cumpridos. "Barreiras físicas, impedem que as pessoas mostrem sua capacidade. Nós da secretaria estamos batalhando para que todas as obras da Copa de 2014, as obras do Plano de Aceleração do Crescimento e as moradias do programa Minha Casa, Minha Vida sejam completamente acessíveis", ressaltou.
Irajá de Brito Vaz observou que Curitiba ganhou muito com a instalação de uma secretaria especial para tratar de assuntos relacionadas à PcD's pois as reinvindicações para que as políticas públicas sejam cumpridas ganham força. "Não são todas as instituições que abrem espaço para falar deste tema, a Fiep por meio do CPCE estão contribuindo para acabar com estereótipos e mostrar que todos são capazes", falou.
Além de conhecerem novas tecnologias na área de reabilitação, próteses ortopédicas de última geração, lupas eletrônicas e adaptações de automóveis, quem passou pelo espaço presenciou a equipe paranaense que participou dos jogos Parapan-americanos em Guadalajara, praticando bocha, tênis de mesa e basquete adaptado.
Representantes de grandes empresas e companhias paranaenses participaram de palestras e debates sobre a inclusão de deficientes no mercado de trabalho e as leis de cotas. "Não há mais desculpas para a não inclusão. Equipamentos existem, tecnologias existem, inovações existem, basta que todas queiram trabalhar pela igualdade", salientou Victor Barbosa.
O Regimento de Polícia Montada "Coronel Dulcídio", unidade especializada de Cavalaria, pertencente à Polícia Militar do Estado do Paraná, teve espaço no encontro e demonstrou exercícios de equoterapia, que previne doenças e ajuda na reabilitação.
No dia 24/11, quinta-feira, as regionais do CPCE em Londrina e Maringá também promoveram uma mesa-redonda com empresários da região, para tratar da inclusão da PcD do mercado de trabalho.
clique para ampliar clique para ampliarEm Maringá, empresas da região apresentaram cases de inclusão (Foto: Divulgação)
Regionais - Para o empresário Vanderlei Bacilar, de Maringá, o CPCE deu uma ferramenta para que os empresários possam oferecer em suas empresas a oportunidade da inclusão. "Esses encontros são muito positivos, pois às vezes é necessário trocas de experiência para que percebamos o quanto faz sentido a inclusão dentro da empresa", comentou.
Encerramento - Marcelo Yuka fechou o encontro com uma palestra que emocionou o público. Há 11 anos foi baleado por nove tiros numa tentativa de assalto no Rio de Janeiro, ficou paraplégico. Ele conta que a adversidade o fortaleceu e que depois de enfrentar uma depressão profunda conseguiu perceber que a deficiência não o deixou incapaz e que a vida ainda estava em jogo.
"Não me importo em ser chamado de deficiente, porque meu cérebro já potencializou outra coisa em mim que a sociedade não é capaz de ver. O mercado de trabalho e a sociedade em geral deveriam perceber essa habilidade. Cabe a nós [deficientes] colocar em prática o autoconhecimento e potencializar tudo isso, só assim as coisas vão mudar, não porque existe uma lei, mas porque reconhecerão que somos alguém com habilidades a mais para compartilhar", declarou.

clique para ampliar clique para ampliarMarcelo Yuka falou sobre as superações no seu processo de reabilitação (Foto: Rogerio Theodorovy)
Yuka questiona ainda o fato da acessibilidade do Brasil ser precária. "Somos reconhecidos internacionalmente por nossos arquitetos, mas a acessibilidade nem sempre está presente nos projetos. Não quero uma rampinha só para eu chegar lá, é para eu chegar lá e fazer melhor. Acesso para carrinhos de bebê, para idosos e para pessoas com deficiência não existe em lugares básicos. Isso porque perante a sociedade não produzimos mais. Na verdade pensam que não produzimos e que não precisamos utilizar os mesmo espaços", falou.
 Confira mais as fotos do evento aqui.

A Arte de Compreender



Um dia, um pensador indiano fez a seguinte pergunta a seus discípulos: Por que as pessoas gritam quando estão aborrecidas? Gritamos porque perdemos a calma, disse um deles. Mas, por que gritar quando a outra pessoa está ao seu lado? questionou novamente o pensador. Bem, gritamos porque desejamos que a outra pessoa nos ouça, retrucou outro discípulo. E o mestre volta a perguntar: Então não é possível falar-lhe em voz baixa? Várias outras respostas surgiram, mas nenhuma convenceu o pensador. Então ele esclareceu: Vocês sabem porque se grita com uma pessoa quando se está aborrecido? O fato é que, quando duas pessoas estão aborrecidas, seus corações se afastam muito. Para cobrir esta distância precisam gritar para poderem escutar-se mutuamente. Quanto mais aborrecidas estiverem, mais forte terão que gritar para ouvir um ao outro, através da grande distância. Por outro lado, o que sucede quando duas pessoas estão enamoradas? Elas não gritam. Falam suavemente. E por quê? Porque seus corações estão muito perto. A distância entre elas é pequena. Às vezes estão tão próximos seus corações, que nem falam, somente sussurram. E quando o amor é mais intenso, não necessitam siquer sussurrar, apenas se olham, e basta. Seus corações se entendem. É isso que acontece quando duas pessoas que se amam estão próximas. Por fim, o pensador conclui, dizendo: Quando vocês discutirem, não deixem que seus corações se afastem, não digam palavras que os distanciem mais.


O eu tem falado tão alto ultimamente que o homem esquece-se da sua dependência do Criador. O caminhar consigo mesmo e confiar somente em si pode conduzir a muitos lugares, menos à cruz de Cristo e ao plano de salvação.  Se Deus me deu um dom, esse dom a Ele pertence, não posso, de maneira alguma sentir-me orgulhosa de mim. O que me é dado pode me ser retirado. É preciso inclinarmos a cabeça muitas vezes se quisermos nos encontrar com Deus. Ele está bem mais perto do nosso coração e da nossa alma que da nossa cabeça. Ele vê nossas fraquezas e segura nossa mão, Ele é a força da qual precisamos a cada dia, a fonte da qual devemos beber, o maná que deve nos sustentar.  Nas lutas diárias da vida,lembre-se de que tudo tem um tempo próprio para realizar-se!
Que Deus te cubra de bençãos e te encha de amor que é o mais precioso tesouro.


Fonte: Refúgio em Deus

domingo, 27 de novembro de 2011

Luiza Possi - Calling you / Quase um segundo (Part. Especial Hebert Vianna)





Queridos amigos, para seu conhecimento e divulgação dentro de suas possibilidades!
Pensando nos que não vêem, segue abaixo um serviço:


Audioteca Sal e Luz

Venho por meio deste e-mail divulgar o trabalho maravilhoso que é realizado na Audioteca Sal e Luz e que corre o risco de acabar.
A Audioteca Sal e Luz é uma instituição filantrópica, sem fins lucrativos,
que produz e empresta livros falados (audiolivros).

Mas o que é isto?
São livros que alcançam cegos e deficientes visuais (inclusive os com dificuldade de visão pela idade avançada), de forma totalmente gratuita.

Seu acervo conta com mais de 2.700 títulos que vão desde literatura em geral, passando por textos religiosos até textos e provas corrigidas voltadas para concursos públicos em geral.
São emprestados sob a forma de fita K7, CD ou MP3.

Nos ajude divulgando!!!

Se você conhece algum cego ou deficiente visual, fale do nosso trabalho, DIVULGUE!!!
Para ter acesso ao nosso acervo, basta se associar na nossa sede, que fica situada à Rua Primeiro de Março, 125 - Centro. RJ-RJ.
Não precisa ser morador do Rio de Janeiro.

A outra opção foi uma alternativa que se criou, face à dificuldade de locomoção dos deficientes na nossa cidade.
Eles podem solicitar o livro pelo telefone, escolhendo o título pelo site,
e enviaremos gratuitamente pelos Correios.

A nossa maior preocupação reside no fato que, apesar do governo estar ajudando imensamente, é preciso apresentar resultados.
Precisamos atingir um número significativo de associados, que realmente contemplem o trabalho, senão ele irá se extinguir e os deficientes não poderão desfrutar da magia da leitura.

Só quem tem o prazer na leitura, sabe dizer que é impossível imaginar o mundo sem os livros...

Ajudem-nos. Divulguem!

Atenciosamente,

Christiane Blume - Audioteca Sal e Luz.
Rua Primeiro de Março, 125- 7º Andar. Centro - Rio de Janeiro-RJ.
CEP 20010-000
Fone: (21) 2233-8007
Horário de atendimento: 08:00 às 16:00 horas

http://audioteca.org.br/noticias.htm
A Audioteca não precisa de Dinheiro, mas de DIVULGAÇÃO!
Então conto com a ajuda de vocês: repassem!
Eles enviam para as pessoas de graça, sem nenhum custo.
É um belo trabalho!
Quem puder fazer com que a Audioteca chegue à mídia, por favor fique à vontade.
É tudo do que eles precisam. 
 
UFF - Universidade Federal Fluminense
NTI-Nucleo de Tecnologia da Informação
Campus Valonguinho-Niterói-RJ- Tel.+55.21.2629.2039
 


sábado, 26 de novembro de 2011

"Sou porque sonho" de Ricardo de Sousa

Mude se for preciso!

     "Mude as atitudes. Mude as escolhas. Mude a postura! Enfim, resolva seus problemas e pare de adiá-los por conta do outro. 

Pare de justificar sua indignação e sua insatisfação através das atitudes do outro. Não está bom
Vá embora!

                     Não quer ir?
 Então, querido, arregace as mangas, lance mão da sua força, do seu amor e da sua vontade de fazer dar certo e comece tudo outra vez. 


Afinal de contas, a vida é isso: um constante recomeço... especialmente quando o que pode renascer é o amor!"


                                                                         [ Rosana Braga ]

                                                          Fonte:     Baú de idéias

Miguel Nicolelis explica por que é tão difícil fazer ciência no Brasil


O cientista brasileiro Miguel Nicolelis será palestrante no evento em comemoração de 10 anos do ITS BRASIL no próximo dia 26 de novembro.
Confirme sua presença pelo E-mail:its@itsbrasil.org.br
 
Leia abaixo a entrevista de Miguel Nicolelis dada a revista Carta Capital:

Miguel Nicolelis explica por que é tão difícil fazer ciência no Brasil
Otimista, Miguel Nicolelis falou ao site de CartaCapital sobre as grandes mudanças que a academia brasileira terá que fazer para tornar o País uma referência na ciência mundial.
O homem de expressão grave que recebe a reportagem de CartaCapital no saguão de um hotel em São Paulo tem muito a dizer sobre a ciência no Brasil. Aos 50 anos, Miguel Nicolelis já foi considerado um dos 20 maiores cientistas do mundo pela revista Scientific American, uma gigante na área. Devemos ouvir falar bastante nele nos próximos anos. É de Nicolelis o projeto de interface entre cérebro e computador mais próximo de fazer um ser humano paraplégico voltar a andar, o que ele pretende fazer até a Copa do Mundo de 2014, no Brasil.
A história desse paulistano do Bixiga mostra que ele não veio ao mundo a passeio. Após se tornar um aluno-prodígio de graduação e doutorado na Faculdade de Medicina da USP, nos anos 1980, brigou com professores da instituição que, no seu entender, faziam parte de uma estrutura arcaica e nociva ao desenvolvimento científico. “Exilado” na Filadélfia, deu prosseguimento a uma carreira brilhante que culminou como chefe de laboratório da Universidade de Duke, na Carolina do Norte, e do Instituto de Neurociências de Natal (RN), o IINN-ELS.
A criação do instituto potiguar é um capítulo à parte de sua carreira. Mais que um projeto profissional, faz parte de um ideal pessoal de Nicolelis, que sonha em produzir conhecimento científico aliado ao desenvolvimento social de uma região carente – o IINN está numa região bastante pobre da capital potiguar e preza o envolvimento de toda a comunidade.
CartaCapitalprocurou o maior cientista brasileiro para entender por que é tão difícil produzir ciência no Brasil. Somos vistos como um gigante emergente econômico lá fora, mas estamos aptos a nos tornarmos também um produtor de conhecimento científico? É um passo fundamental para o Brasil passar da classificação “emergente” para “desenvolvido”. Quais são os grandes gargalos da universidade brasileira para isso?
Dois são os motivos que tornaram Nicolelis apto a responder estas questões, talvez melhor que ninguém no País. Primeiro, é um cientista bem sucedido que passou pela experiência acadêmica no Brasil e nos Estados Unidos, este último reconhecido como o grande exemplo na área. Segundo, é integrante da Comissão do Futuro, um braço do Ministério da Ciência e Tecnologia que está mapeando a nossa vida acadêmica para torná-la dinâmica e palatável ao cientista.
Ao receber o repórter, Miguel Nicolelis sentou-se num sofá, pediu uma limonada e concentrou ouvidos e olhos, estes verdes como as cores do clube pelo qual é fanático torcedor, o Palmeiras, para responder didaticamente cada uma das perguntas. O resultado você lê nas páginas abaixo.

Fonte: 
 Carta Capital

DE MAOS DADAS COM A IGUALDADE

sexta-feira, 25 de novembro de 2011

Veja o link Curitiba discutindo Inclusão sob vários aspectos!




Encontro discute soluções de tecnologia para pessoas com 


Encontro discute soluções de tecnologia para pessoas com deficiência física
. link: embed: Bom Dia Paraná. 

 O encontro terminou hoje em Curitiba. Para ver toda a programação e participar é só se inscrever no site www.cpce.org.br

http://video.globo.com/Videos/Player/Noticias/0,,GIM1708340-7823-


PRECONCEITO A DEFICIENCIA.mpg

Paralisia cerebral

Programas de computador ajudam deficientes a se comunicarem e se informa...

Uso do Teclado e Mouse para portadores de Paralisia Cerebral ou pessoas ...

quarta-feira, 23 de novembro de 2011

Mensagens para reflexão - Forum Espirita

Mensagens para reflexão - Forum Espirita

segunda-feira, 21 de novembro de 2011

Encontro de Reabilitação, Inclusão e Tecnologia


PROGRAMAÇÃO - CURITIBA
24 de novembro
MANHÃ
8h30 – Credenciamento
9h – Café de boas vindas
9h30 – Abertura
Sr. Victor Barbosa - Presidente Executivo CPCE 
09h45 - Secretaria Nacional da Pessoa com Deficiência – Antônio José do Nascimento Ferreira
Políticas Públicas - 20 anos da Lei de Cotas - Desafios e Oportunidades.

10h25 - Secretário Especial da Pessoa com Deficiência de Curitiba - Irajá de Brito Vaz
Histórico das ações da secretaria e projetos de relevância.


11h05 - Secretaria Municipal do Trabalho e Emprego - Diorlanda Stoco
Cenário da Inclusão nas empresas de Curitiba e Região Metropolitana.

12h – Abertura para perguntas

12h30 – Almoço

TARDE

14h – Mesa Redonda

Inclusão rumo a universidade.
Mediador: Rubens Leonart

Prof. Dr. Paulo Ross - Doutor em Educação pela USP - Professor da UFPR
O que as academias precisam produzir para a promoção da inclusão?

Miria Fagus - Departamento de Educação Especial do Estado do Paraná
Pesquisas e tecnologias que servem de suporte nas palestras aos professores da rede pública visando a inclusão.

Prof.ª Leomar Marchesini - Grupo UNINTER
Inclusão da PcD nas Universidades em cumprimento as disposições do MEC Incluindo PcD restritos ao leito e com deficiência múltipla.

17h – Apresentação Cultural com Velhos Guris




25 de novembro
MANHÃ

8h30 – Credenciamento


8h45 – Apresentação de Cases
Mediadora: Regiane de Cássia Ruivo Maturo
Case Volvo – Rubens Cieslak
Gestão e retenção de PCD nas Empresas Paranaenses
Case Sadia Ponta Grossa – Carlos/Lilian Silva
Inovar, incluir e manter a equipe motivada
Case UNILEHU - Andréa Koop
Desafios e oportunidades ao fazer a gestão das inclusões nas empresas
Case Sesi/Senai - Olívia do Rocio de Oliveira
Inovar e incluir por meio da aprendizagem
Case HSBC - Joaquin Pacheco
Comitê da Diversidade e Gestão por indicadores-Busca pela melhoria contínua nas relações e na tecnologia assistiva.

11:30 – Desfile
Coleção 2011 de roupas acessíveis - SENAI /CIANORTE
12:15 – Almoço

TARDE
14h – Mesa Redonda - Acessibilidade e Mobilidade Reduzida
Mediador: Ricardo Mesquita
CREA/PR - Manoel de Oliveira Filho
Acessibilidade e desenho universal
Levi Vida - Wanderlei Bacelar
Acessibilidade urbana
Associação do Deficientes Físicos do Paraná – Mauro Nardine
Acessibilidade sobre a ótica dos deficientes e pessoas com mobilidade reduzida.
16h – Visitação à Feira
16h30 - Palestra Magna
Marcelo Yuka
Na adversidade a reinvenção como protagonista de uma história.

EXPOSITORES
Otto Bock - Cadeiras de rodas e próteses ortopédicas
Levi Vida – Rampas e apoiadores
SESI/SENAI - Programa de inclusão para empresas
Coloplast - Produtos para ostomisados, incontinência e feridas.
HN Adaptações - Adaptação para automóveis
Daiken - Elevadores e plataformas elevatórias
Aladdin  - Lupas eletrônicas para baixa visão
UTFPR - Emulador de teclado e mouse
Toyota/Honda/Barigui - Veículos adaptados
Cavalaria Polícia Militar – Equoterapia
Equipe Parapan - Esportes (esgrima, tênis de mesa, bocha, basquete, atletismo)
UNILEHU - Vivência /Tenda das Sensações.











PROGRAMAÇÃO MARINGÁ


14h – Abertura
14h20 – Agência do Trabalhador de Maringá – Empregabilidade das Pessoas com Deficiência
14h50 – UNILEHU – Capacitação Profissional para pessoas com Deficiência
15h20 – Intervalo
15h40 - Case Santa Casa de Maringá  - Inclusão na Empresa
16h – Case Leve Vida – Tecnologias de Inclusão
16h20 – Debate / Perguntas
17h – Encerramento


















PROGRAMAÇÃO LONDRINA

19h – Abertura
- Case Empresa
- Ministério do Trabalho – Rogério Perez – Tema: Empregabilidade
- ADEFIL – Terceiro Setor – Paulo Lima
- Secretário de Acessibilidade de Londrina – José de Castro




 Em 2011 o foco será inovação, com espaços e painéis abordando as novidades sobre o assunto
O Conselho Paranaense de Cidadania Empresaria (CPCE) realiza nos dias 24 e 25 de novembro o Encontro Paranaense de Reabilitação, Inclusão e Tecnologia - Inovar para Incluir. Este ano o evento também acontece nas regionais do CPCE em Londrina e Maringá, no dia 24 de novembro.
O objetivo é disseminar novidades tecnológicas na área de reabilitação, inclusão e mobilidade reduzida. Durante o encontro o participante terá a oportunidade de conhecer e discutir sobre inovações em práticas de ensino, pesquisa, tecnologia em serviços e produtos para pessoas com pessoas com deficiência.
Palestras, mesas redondas e diálogos propiciarão a interação entre poder público, iniciativa privada e sociedade civil erão apresentados ainda, produtos e serviços voltados à inclusão do cidadão e práticas esportivas adaptadas, sempre com foco na inovação.
As inscrições são GRATUITAS.
PROGRAMAÇÃO
Para acessar a progamção de Word, clique aqui.
Curitiba - 24 e 25 de novembro
Local: Pavilhão Horácio Coimbra - Av. Comendador Franco, 1341 - Jardim Botânico - Curitiba/PR. 
Inscrições aqui.

clique para ampliar clique para ampliarConfira a programação. (Foto: CPCE)




clique para ampliar clique para ampliarConfira a programação. (Foto: CPCE)






Maringá - 24 de novembro
O evento em Maringá conta com o apoio da Prefeitura Municipal, Conselho Municipal dos Direitos da Pessoa com Deficiência, Instituto de Responsabilidade Social de Maringá (Fundacim), Leve Vida, Santa Casa e Unilehu.
Local: Auditório Sesi Maringá - Rua Antonio Carniel, 499 - Zona 5
Horário: 14h às 17h
Inscrições aqui.

clique para ampliar clique para ampliarConfira a programação. (Foto: CPCE)










Londrina - 24 de novembro
Local: Auditório Sesi Londrina - Rua Deputado Fernando Ferrari, 160 - Jardim Bancários

Horário: 19h
Inscrições aqui.

clique para ampliar clique para ampliarConfira a programação. (Foto: CPCE)

FONTE: 
http://www.fiepr.org.br/fiepr/cpce/News18479content144838.shtml