quinta-feira, 29 de março de 2012

Começa a terceira Semana do Autismo em Volta Redonda

Programação especial segue até terça-feira e inclui o ambiente digital 
Volta Redonda 

Diario do Vale

A terceira Semana de Conscientização do Autismo de Volta Redonda, realizada pela Apadem (Associação de Pais de Autistas e Deficientes Mentais), começou hoje com palestra do editor-chefe da revista "Autismo", Paiva Júnior, no auditório da UFF (Universidade Federal Fluminense), campus Aterrado. A programação continua amanhã, com audiência pública na Câmara Municipal, a fim de fomentar políticas para autistas. O evento contará com apresentação do tenor Saulo Lucas. No dia 2, é comemorado o Dia Mundial de Conscientização do Autismo.  



O objetivo do Dia Mundial e da Semana de Conscientização, segundo a presidente da Apadem, Claudia Moraes, é chamar a atenção da sociedade para o aumento do número de casos de autismo diagnosticados no mundo e a falta de intervenção para a síndrome.
- A data foi instituída pela ONU (Organização das Nações Unidas) desde 2007, para chamar a atenção e conscientizar. Como um dia só é pouco, resolvemos fazer uma semana de eventos para que consigamos discutir vários tópicos, como educação, direito, lazer, tecnologia, necessários e importantes para a melhoria de vida dos autistas - disse.
A presidente alerta para a importância de participar do evento.
- Discutimos temas variados que desmitificam o autismo. Pela inclusão dos autistas é importante que as pessoas participem, porque quando não os conhecemos nós os excluímos - enfatizou. 
Segundo ela, o diagnóstico precoce melhora o prognóstico de vida do autista. É preciso ficar atento para sintomas como: crianças que não atendem quando são chamadas, crianças que demoraram a falar ou são repetitivas, que brincam inadequadamente, que andam nas pontas dos pés com frequência, além de outros sintomas que são percebidos fortemente após os 2 anos.
- Quando os pais perceberem esses sintomas é necessário procurar um neurologista ou psiquiatra. Somente esses profissionais podem dar o laudo - falou. 
A instrutora de informática Liê Ribeiro Silva tem um filho autista de 23 anos. Ela destacou a importância de movimentos como esse e se referiu a Volta Redonda como exemplo para outras cidades.

- A importância realmente é conscientizar e alertar à população. Os autistas existem e devem ser respeitados. A educação é o caminho mais promissor para ajudar essas crianças, e Volta Redonda está de parabéns - frisou, ao citar que a cidade tem duas escolas para autistas e intervenções terapêuticas que ajudam muito as pessoas com a síndrome, tanto quando crianças como na fase adulta.                 

Programado 

No sábado, serão promovidos workshops na UFF, campus Aterrado, das 9 às 16h. Os temas abordados serão: direitos das pessoas com autismo, inclusão, meavox - plataforma digital e instrumento de diagnóstico.

A segunda-feira será marcada por inaugurações. Às 14h, acontece a reinauguração do Semeia (Sítio Escola Municipal Espaço Integração do Autista) Thereza Aguiar Chicarino de Carvalho. Às 15h, será inaugurada uma sala da Apadem no bairro Voldac. Já às 16h, será inaugurada na UFF, campus Aterrado, a Adaca (Ambiente Digital de Aprendizagem para Crianças Autistas). Na terça-feira, haverá um show do projeto "Cultura para Todos", no Cine 9 de Abril.
Está programada também, para a quarta-feira, ainda a ser confirmada, uma passeata que deve reunir pais, profissionais e amigos dos autistas. O movimento deve começar na Praça Brasil, na Vila Santa Cecília, às 16h.  
 

Um comentário:

Poesia em Gotas disse...

Lindo Gabriel na UFF, obrigada
Mãe Liê